Compostagem: como fazer em casa.

Compostagem: como fazer em casa. - Supermercado de Angelina

Já falamos por aqui que todo o lixo produzido em nossas lojas, é coletado pela empresa Espaço Rural Panaceia, que atuam deste 2015 e possuem licenciamento para operar com compostagem.

Hoje vamos falar um pouco mais dessa técnica de reaproveitamento do lixo orgânico e como você pode fazer a compostagem na sua própria casa.

A compostagem é o processo de reciclagem do lixo orgânico, transformando a matéria orgânica encontrada no lixo em adubo natural, que poderá ser usado na agricultura, em jardins e plantas, o que substitui o uso de produtos químicos.

Este processo também contribui para a redução do aquecimento global. Só em 2015, de acordo com o Ministério do Meio Ambiente, foram geradas cerca de 32 milhões de toneladas de resíduos orgânicos no Brasil, o que equivale a 88 mil toneladas de lixo diário. Todo este material quando entra em decomposição, seja nos lixões ou aterros sanitários, gera o gás metano, um dos principais causadores do efeito estufa.

Realizar a compostagem doméstica pode ser uma boa opção para quem quer dar um melhor fim para o lixo orgânico e contribuir para o meio ambiente. Mas, existem algumas regras que devem ser seguidas durante o processo. Se liga: existem 2 tipos de compostagem, a com minhocas e a sem minhocas.

Composteira com minhocas
Para um processo de compostagem mais rápido, você pode optar pela compostagem com minhocas, conhecida como vermicompostagem, que também pode ser feita em casas e apartamentos com o uso da composteira doméstica.  O vermicomposto, (adubo orgânico gerado a partir desse processo) é conhecido também como o húmus de minhoca que é rico em flora bacteriana e ajuda a fornecer uma nutrição equilibrada para as plantas e também uma maior resistência a doenças.

Você vai precisar de:
– 3 caixas plásticas escuras (sendo uma com tampa);
– Folhas secas e galhos pequenos;
– Cerca de 100 minhocas.

As caixas deverão ser empilhadas em três níveis. Nas duas superiores devem haver pequenos furos, que serão responsáveis pela comunicação entre uma caixa e outra. São nessas caixas que será feita a compostagem (processo de decomposição natural). A última caixa será utilizada apenas para coletar o resíduo líquido orgânico, que, se diluído, pode ser utilizado para regar plantas e hortas.

O primeiro passo é forrar o fundo da caixa superior com folhas secas e pequenos galhos ou serragem. Esta primeira camada vai funcionar como dreno para a composteira. Em seguida deve-se colocar a terra com as minhocas e logo acima os resíduos orgânicos.

É importante que os resíduos sejam cobertos com outra camada de folhas secas para contribuir com a oxigenação. Isso também garante que não se gere um mal odor pelo processo.

Composteira sem minhocas
Outra opção é a compostagem sem minhocas. O processo é quase o mesmo, mas ela pode, diferente do outro receber casca de alho e cebola. Porém, o desenvolvimento do adubo tende a ser mais lento e pode desenvolver um cheiro não tão agradável, principalmente caso o processo dê errado. É comum que a falta de oxigenação nesse tipo de compostagem gere mofo e a falta de material seco pode causar o mal cheiro.

Dicas
– Os depósitos de lixo orgânico devem ser feitos diariamente;
– Quando a caixa de cima estiver cheia é necessário trocar as posições, passando-a para baixo e colocar a vazia em seu lugar para recomeçar o processo. Não é necessário colocar novas minhocas;
– O adubo orgânico pode ser coletado em média a cada três meses.

IMPORTANTE: Na hora de escolher o que colocar na composteira é necessário ficar atento. Alguns materiais comprometem a degradação da matéria orgânica e prejudicam o desenvolvimento do adubo. Confira o que você deve colocar ou não em sua composteira.

Pode usar:
– Frutas;
– Cascas de ovos;
– Legumes;
– Sachê de chá sem etiqueta e erva de chimarrão;
– Verduras;
– Grão e sementes;
– Borra e filtro de café.

Use com moderação:
– Frutas cítricas;
– Alimentos cozidos;
– Laticínios;
– Flores e ervas medicinais ou aromáticas;
– Guardanapos e papel toalha.

NÃO use:
– Carnes;
– Temperos fortes (pimenta, alho e cebola);
– Limão;
– Arroz;
– Trigo;
– Nozes pretas;
– Óleos e gorduras;
– Líquidos (iogurtes, leite, caldos de sopa e feijão, etc);
– Papéis (papel higiênico, jornais e papelões em geral);
– Fezes de animais domésticos.

Serragem grossa, palhas, folhas, gramas e/ou podas de jardim trituradas devem ser misturadas.

Fonte: www.revistagloborural.globo.com